Modelo Conceitual – Parte 2

Atributos

Num diagrama é possível encontrar dois tipos de atributos, os atributos de entidades e os atributos de relacionamento. Os atributos de entidade são os valores da Entidade sobre os quais se deseja manter registro. Todas entidades possuem no mínimo dois atributos sendo um deles o atributo identificador.

O uso do atributo identificador em cada entidade torna o trabalho mais simples quando obtermos a base de dados completa. Com a sua utilização sempre haverá um parâmetro de busca comum. Os demais atributos devem representar as informações sobre a entidade que se deseja registrar.

Graficamente nós representamos os atributos com pequenos círculos ligados a entidade por uma reta, o atributo identificador deve ter o circulo pintado, enquanto os demais devem ser vazados. Por exemplo, a entidade Aluno tem os seguintes atributos: idAluno, Nome, Endereço, RG, CPF, Telefone e Nascimento, então podemos representar isso graficamente da seguinte forma:Uma vez que os atributos estejam representados chegamos ao último passo do modelo, que são as cardinalidades.

Cardinalidades

Depois de definirmos as entidades e os relacionamentos nós podemos identificar que tipo de relação haverá entre as entidades, indicando o número de ocorrências de um relacionamento. Para fazer isso basta analisar as regras de negócios com perguntas bidirecionais,  a abordagem deve buscar a informação de ocorrências da entidade relacionada. Após responder as perguntas teremos a cardinalidade mínima e máxima para o projeto de banco de dados.

A cardinalidade mínima em um DER admite somente duas associações:  0 (zero) para associação opcional, é usada quando o relacionamento não precisa associar uma ocorrência a cada registro da mesma; 1 (um) associação obrigatória, é usada quando o relacionamento deve obrigatoriamente associar uma ocorrência da entidade a cada registro da mesma.

A cardinalidade máxima em um DER admite somente duas associações: 1 (um) para associação única, é usada quando no máximo uma única  ocorrência  da entidade é associada em cada registro da mesma. N (muitos, vários) para associação de muitos, é usada quando o número de ocorrências da entidade é maior que 1, sendo referida por muitos e representada pela letra N, não importa se as regras de negócio dizem que há 2, 5, 100 ou 500 ocorrências, para o diagrama entidade relacionamento representaremos a associação como muitos.

Vejamos a figura a seguir:

Para cada relacionamento faremos a analise das regras de negócios das entidades envolvidas. Então comecemos com Alunos e Turmas:

Quantos alunos no mínimo pode haver numa turma?
1

Quantos alunos no máximo podem haver numa turma?
vários [N]

Os valores devem ser anotados ao lado da entidade que responde. Nesse caso ao lado de Turmas, e sempre apresenta a cardinalidade mínima a esquerda e em seguida a cardinalidade máxima. No exemplo temos (1,N). Então continuamos com as perguntas:

A quantas turmas um aluno pode pertencer?

somente uma

Assim temos o mínimo e o máximo (1,1), anotados ao lado de Alunos.

Tendo as cardinalidades do primeiro relacionamento resolvidas,  passemos para as próximas, o relacionamento leciona.

Quantas turmas no minimo e no máximo um professor pode lecionar?

uma ou muitas (0,N)

Quantos professores uma turma pode ter no min e no max?

1 ou vários (1,N)

Assim temos:

Com as cardinalidades mínimas e máximas podemos definir o tipo de relacionamento,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s